sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Liturgia de Domingo, 09/08/2009


A liturgia do 19º Domingo do Tempo Comum dá-nos conta, uma vez mais, da preocupação de Deus em oferecer aos homens o “pão” da vida plena e definitiva. Por outro lado, convida os homens a prescindirem do orgulho e da auto-suficiência e a acolherem, com reconhecimento e gratidão, os dons de Deus.

A primeira leitura mostra como Deus Se preocupa em oferecer aos seus filhos o alimento que dá vida. No “pão cozido sobre pedras quentes” e na “bilha de água” com que Deus retempera as forças do profeta Elias, manifesta-se o Deus da bondade e do amor, cheio de solicitude para com os seus filhos, que anima os seus profetas e lhes dá a força para testemunhar, mesmo nos momentos de dificuldade e de desânimo.

O Evangelho apresenta Jesus como o “pão” vivo que desceu do céu para dar a vida ao mundo. Para que esse “pão” sacie definitivamente a fome de vida que reside no coração de cada homem ou mulher, é preciso “acreditar”, isto é, aderir a Jesus, acolher as suas propostas, aceitar o seu projecto, segui-l’O no “sim” a Deus e no amor aos irmãos.

A segunda leitura mostra-nos as consequências da adesão a Jesus, o “pão” da vida… Quando alguém acolhe Jesus como o “pão” que desceu do céu, torna-se um Homem Novo, que renuncia à vida velha do egoísmo e do pecado e que passa a viver no caridade, a exemplo de Cristo.

As palavras de Jesus que vamos escutar são um apelo à fé e também antecipação e figura ou tipo da Eucaristia, verdadeiro Pão da Vida e maná definitivo. Como nos lembra São Paulo, crer não é somente um acto da inteligência e também por isso a Igreja ensina que os sacramentos não só supõem como alimentam a fé. Na primeira leitura, o profeta Elias, sentindo-se abandonado e quase desesperado, no meio do deserto, vê Deus vir em seu auxílio, no reconhecimento da sua fragilidade.

Fonte: Farol de Luz
A caminho

Sem comentários:

Enviar um comentário